BH SHOPPING SAI NA FRENTE E PRODUZ FERTILIZANTE ORGÂNICO


m parceria com empresa de gestão de resíduos, projeto-piloto reafirma o compromisso do

empreendimento com a sustentabilidade e a responsabilidade ambiental

 

 Mais uma vez, o BH Shopping se destaca e aposta em um projeto-piloto que tem como meta reaproveitar o lixo gerado pela Praça de Alimentação do empreendimento para a produção de fertilizante orgânico.  O projeto, batizado de BH Eco Shopping e realizado em parceria com as empresas Locavia (gestão de resíduos) e a BioIdeias (empresa de biotecnologia), já está em plena operação. “Iniciamos uma série de testes e análises, em março e, em junho, começamos a operar definitivamente; já tínhamos uma iniciativa para o descarte correto do lixo, mas nossa meta era obter uma operação que pudesse contribuir de fato com o meio ambiente e com a sociedade”, afirma o superintendente do BH Shopping, Durleno Rezende.

 

Processo rápido e inodoro

A matéria prima usada para a produção do fertilizante orgânico é o resíduo de alimento gerado na Praça de Alimentação e também resíduo verde (proveniente de plantas que seriam descartadas). O material é coletado diariamente, passa por uma primeira triagem feita pela equipe de limpeza do empreendimento e é encaminhado para a Unidade Compacta de Tratamento de Resíduos (UCTR), localizada no shopping. Neste local, é feita uma segunda triagem, ou seja, a separação do alimento dos demais resíduos.

Todo o material é pesado de 100 em 100 quilos e colocado em uma esteira com serragem. A executiva da Locavia Fernanda Lima explica que, depois disso, o material é direcionado, via esteira, para um equipamento chamado Bio Reator, onde “a mágica acontece”. “As enzimas criadas pela BioIdeias são inseridas no processo e são as responsáveis pela aceleração do processo de decomposição”. Todo o processo, que é praticamente inodoro em função das enzimas, dura exatamente 45 minutos. 

Após isso, o fertilizante orgânico está praticamente pronto: basta retirar o material e deixar descansar por cerca de quatro dias. Em seguida, tudo é triturado e, depois de mais três dias, já pode ser utilizado. “Com este projeto socioambiental, a meta do BH Shopping é reduzir 10 toneladas/mês de resíduos orgânicos gerados pelo empreendimento, que seriam encaminhados para o aterro sanitário”, diz Rezende.

 

Custo zero

Além de toda a área verde interna e externa no empreendimento, o BH Shopping também é responsável por cuidar de algumas praças e áreas verdes do seu entorno. “Toda a produção já está sendo usada no próprio empreendimento e nas praças”, destaca o gerente de Operações do mall, Sérgio Giacomelli. Ele conta que, em função da parceria com a  Locavia, e por se tratar de um projeto-piloto, a operação teve praticamente custo zero para o empreendimento. “Como estamos gerando menos volume de lixo, renegociamos os contratos com as empresas de caçambas que levam o material ao aterro e com a empresa de jardinagem que agora deixa de usar outro tipo de fertilizante, fazendo uso daquele produzido no próprio empreendimento”, ressalta.

 

FONTE: http://www.portaldoshopping.com.br/site/noticia/801