Empresa de compostagem rápida cresce para fechar o ciclo de resíduos e efluentes orgânicos.


18 de abril de 2013  Notícias

article-image

O processo de compostagem rápida usado no telhado verde do Shopping Eldorado utiliza-se de uma engenharia microbiológica e de processos biotecnológicos que foram desenvolvidas ao longo de três décadas pelo mineiro Lázaro Sebastião Roberto. Além de participar do projeto piloto na capital paulista, a sua empresa BioIdeias está envolvida em outros projetos que utilizam os mesmo conceitos para fechar o ciclo dos resíduos em diversas áreas incluindo a industrial e a sucroalcooleira.

Tecnicamente, o processo da BioIdeias, uma empresa de Uberaba que participa da APL Biotecnologia do Triângulo Mineiro utiliza enzimas extraída de algas que, adicionadas a catalisadores e minerais de para equilibrar o pH e de desodorização, concluem a degradação dos alimentos em nutrientes em poucas horas e produz um composto rico para o plantio.

“Patenteamos o processo,” explicou o pesquisador Roberto. “No fundo, somos nada mais do que faxineiros”.

Este processo básico, por exemplo, está sendo utilizado também há um pouco mais de três meses pela prefeitura de Mariana, MG, para processar 20 toneladas por dia de lixo orgânico  – cerca de metade do que é coletada diariamente na cidade de 45 mil habitantes  – para gerar biofertilizantes que são usados pela concessionária de limpeza pública para recuperar áreas degradadas, para o plantio de árvores nativas e nas lavouras de eucalipto.

O produto final e a adequação do processo dependem da composição do resíduo, cuja caracterização é o primeiro passo do processo, explicou Roberto. A inovação no caso do Shopping Eldorado, é usar o processo em locais fechados e relativamente pequenos, adequando o processo às sobras de comidas. Para expandir o processo para os resíduos da cozinhas do centro comercial, o processa será re-adequado para a composição do lixo.

Já em Patrocínio, SP, a ideia é processar resíduos orgânicos e produzir biomassa para queima nos fornos da indústria de cerâmica que são os próprios geradores do resíduo.

Roberto teve a ideia quando trabalhava na indústria mineração onde desenvolvia e aplicava processo de limpeza de gemas e minerais. Daí ele começou a buscar uma solução para os subprodutos desta limpeza.

“Fui aconselhado a não fazer, disseram que não daria em nada, mas a curiosidade quebra paradigmas”, lembrou. “Eu comecei pesquisando na garagem de minha casa”

Do primeiro trabalho, Roberto fundou a Bioexton em 1998, empresa que surgiu de um processo de incubação na Universidade de Uberaba.

De 1998 a 2004 a empresa faturou R$2 milhões.

O processo, que foi patenteado no Brasil e no exterior, chamou a atenção do fundo de capital semente Novarum em 2007.

A parceria, no entanto, durou pouco e em 2010, Roberto saiu da sociedade. A Bioexton acabou dando origem a atual empresa Geociclo, que oferece serviços de gestão resíduos e produtos como biofertilizantes para a agro indústria.

Houve uma disputa pelo patente, explicou Roberto. Mas hoje ele detém outros patentes oriundos do original que o permite atuar em outras áreas e que, além da BioIdeias, deu fruto a um laboratório de ideias no qual especialistas estão pesquisando e aplicando outras alternativas.

Há conversas com empresas e prefeituras, soluções para o tratamento de lodo e efluentes líquidos e resíduos sólidos orgânicos, inclusive para o tratamento de vinhaça do setor sucroalcooleiro que está sendo pesquisado. Estas soluções são possíveis com a decisão de Roberto reinvestir 10% da receita líquida de cada projeto em pesquisa e desenvolvimento.

Para Roberto, a solução que desenvolveu permite fechar o ciclo dos resíduos, trazendo uma solução rápida para a compostagem, principalmente em áreas urbanas para fechar o ciclo das hortas como em Uberaba onde, em parceria com a prefeitura e comunidades locais, a sua empresa ajudou a montar um programa de ocupação de terrenos baldios para plantio.

Hoje, segundo Roberto, são cerca de 130 terrenos ocupados que produzem alimentos para as comunidades. Mas, para ele, este trabalho vai além da técnica pois envolve

 

Ver matéria: http://revistasustentabilidade.com.br/empresa-de-compostagem-rapida-cresce-para-fechar-o-ciclo-de-residuos-e-efluentes-organicos/